Uso prolongado de benzodiazepinas asociado a alzheimer

Postado por Rui Fonte em segunda, setembro 15, 2014 Em: Medicação

Estava a ler um jornal muito conceituado quando na secção da ciência leio uma noticia interessante. A noticia tem a haver com as benzodiazepinas (fármacos ansiolíticos) que ao que parece podem estar associados a uma uma doença degenerativa incurável, alzheimer.
Certo que ainda são precisas mais pesquisas para chegar a uma conclusão mais acertada mas fica aqui o artigo completo.

Ler também - O que é um ansiolítico

Se o uso crónico de benzodiazepinas causa de facto a doença cerebral é desconhecido, mas a associação é tão flagrante que a questão deveria ser examinada, defendem os autores.
A demência afeta cerca de 36 milhões de pessoas no mundo, uma quantidade que se prevê que duplique de 20 em 20 anos à medida que a esperança de vida aumenta e os nascidos na bolha demográfica do 'baby boom' envelhecem.

A pesquisa

Investigadores na França e no Canadá, usando uma base de dados no Quebeque, identificaram 1.796 pessoas com a doença de Alzheimer, cuja saúde foi monitorizada durante pelo menos até seis anos antes de a doença ter sido diagnosticada.
Cada indivíduo foi comparado, por três vezes, com outros, agrupados por idade e género, para procurar alguma anormalidade.

A investigação apurou que os pacientes com um registo de uso intensivo de benzodiazepinas, durante pelo menos três meses, têm uma probabilidade de 51% de serem diagnosticados com Alzheimer. O risco aumenta com o uso daquela droga.
Os investigadores admitiram que o quadro é confuso.

As benzodiazepinas são usadas para tratar a falta de sono e a ansiedade -- sintoma que também são comuns entre as pessoas no período anterior ao diagnóstico de Alzheimer.
Por outras palavras, mais do que causar Alzheimer, a droga esteve a ser usada para aliviar os seus sintomas iniciais, o que poderia explicar a associação estatística, relativizaram.

"As nossas descobertas são da maior importância para a saúde pública" e suscitam mais investigação, adiantou a equipa de investigação.
O estudo, publicado pelo British Medical Journal (BMJ), foi liderado por Sophie Billioti de Gage, da Universidade de Bordéus, no sudoeste de França.

Em comentário, Eric Karran, investigador da doença, considerou que o estudo reuniu informação com apenas cinco anos, quando os sintomas de Alzheimer frequentemente aparecem numa década ou mais antes do diagnóstico.
"Precisamos de investigação mais prolongada no tempo para perceber esta proposta associação e quais as razões subjacentes que possam existir", adiantou.  

Fonte - Diário de Notícias 

Em: Medicação 


Tags: benzodiazepinas  ansioliticos   
    
   
 
  
   
  
   
   
  
   
      
  
   
   
  
   
    

Sobre Mim


Rui F. Sei que ter ansiedade atrasa todo o processo da vida e pelo que dedico muitas horas para levar até si tudo o que possa ajudar a compreender esta doença. Foi uma forma que encontrei para tornar útil a minha ansiedade.
  

Outros Projetos Pessoais

Fique a Saber

Práticas Alternativas


Informação e ajuda à ansiedade, depressão e ataques de pânico
Information and help with anxiety, depression and panic Attacks
Información y ayuda con ataques de ansiedad, depresión y pánico
L'information et aider avec des d'anxiété, dépression et la panique

Vladman.net © 2010-2017

vladman.net